Maranhão participa de Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas

Maranhão participa de Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas

Na COP 23, líderes mundiais discutem o combate aos efeitos das mudanças climáticas e o cumprimento das metas definidas no Acordo de Paris (Foto: Divulgação/ONU)

Especialistas acreditam que o Brasil foi o país que mais firmou compromissos e que mais contribuiu em sustentabilidade para as questões de cooperação climática durante a Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas – (a COP 23, que este ano alcança a 23ª edição), que foi encerrada na tarde desta sexta-feira (17) com avanços discretos na implementação do Acordo de Paris e participação de delegações de 197 países.

Entre os estados brasileiros participante do evento, o Maranhão representou o Brasil pela segunda vez, acompanhado do estado de Roraima, que estrou nesta edição. Além das discussões focarem maneiras de se viabilizar os objetivos do Acordo de Paris (firmado durante a COP 21), o governo maranhense uniu-se ao demais governos que integram a Amazônia Legal a fim de discutir os desafios e as oportunidades para o desenvolvimento sustentável da Amazônia, e também a questão da vocação para a agricultura que estados brasileiros possuem.

As discussões têm procurado, então, encontrar uma equação sustentável para esses estados, envolvendo um equilíbrio entre empreendimentos, vocação para os negócios, cooperação com os povos indígenas e o convívio com experiências alternativas que tendem a crescer na colaboração com as boas práticas.

A boa notícia é que os debates apontam para uma agricultura de baixo carbono que está crescendo nos estados que fazem parte da Amazônia Legal. Assim como a pecuária consorciada com a lavoura. Outro aspecto importante vivido entre os estados brasileiros, sobretudo pelos estados amazônicos, vai além dos desafios econômicos. É o caso do Maranhão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.