Sarney volta a ter domicílio eleitoral em São Luís

Sarney volta a ter domicílio eleitoral em São Luís

O ex-presidente José Sarney esteve em São Luís nesta segunda-feira (19) para confirmar a transferência de título do Amapá para o Maranhão, após três décadas votando no estado amapaense. A alteração já vinha sendo aguardada há alguns meses.

A mudança possui como um dos principais motivos especulados a candidatura de sua filha, Roseana Sarney, ao Governo do Estado nas eleições 2018, que este ano se candidata pela primeira vez pela oposição.

Aos 88 anos, Sarney abre mão de sua candidatura ao senado pelo Amapá, no qual havia uma expectativa quase certa de reeleição, para ajudar a filha na campanha eleitoral, que disputa a vaga com o atual governador Flávio Dino, que segue à frente nas pesquisas.

PF prende policiais legislativos suspeitos de atrapalhar investigações

PF prende policiais legislativos suspeitos de atrapalhar investigações

pf

A Polícia Federal prendeu, na manhã desta sexta-feira (21), quatro policiais legislativos suspeitos de prestar serviço de contrainteligência para ajudar senadores investigados na Lava Jato e em outras operações. A suspeita é que esses policiais faziam varreduras nas casas dos políticos para, por exemplo, identificar e eliminar escutas instaladas com autorização judicial. As informações são do G1

A operação se baseou no depoimento de um policial legislativo. Ele relatou ao Ministério Público Federal que o chefe da polícia do Senado teria realizado medidas de contrainteligência nos gabinetes e residências dos senadores Fernando Collor de Mello(PTC-AL), Edison Lobão (PMDB-MA) e do ex-senador José Sarney (PMDB-AP), que foi presidente do Senado.

O advogado de Sarney e Lobão, Antônio Carlos de Almeida Castro, afirmou que não houve nenhuma irregularidade cometida pelos políticos (veja abaixo as respostas completas das defesas). Ele disse que Sarney está “perplexo” e que não solicitou nenhuma varredura à polícia legislativa.

Janot pediu a prisão de Renan, Jucá e Sarney, diz jornal

Janot pediu a prisão de Renan, Jucá e Sarney, diz jornal

renancalheiroromerojucaejosesarney

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu a prisão do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), do senador Romero Jucá (PMDB-RR) e do ex-presidente da República, José Sarney, de acordo com reportagem desta terça-feira (7) do jornal “O Globo”. A TV Globo confirmou a informação.

De acordo com o jornal, o procurador-geral pede a prisão dos três por suspeita de eles estarem obstruindo as investigações da Operação Lava Jato. A reportagem diz também que os pedidos de prisão estão com o ministro do Supremo Tribunal FederalTeori Zavascki, relator da Lava Jato no tribunal, há pelo menos uma semana.

O Globo’ afirma que Janot pediu também o afastamento de Renan da presidência do Senado, a exemplo do afastamento de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) do comando da Câmara.

A alegação de Janot de que Sarney, Jucá e Renan estariam agindo para barrar a Lava Jato se baseia, segundo o jornal, em na delação premiada do ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, que, de acordo com a reportagem, traz indícios de que os três queriam limitar as investigações.