Deputado maranhense quer instalação da CPI do Viagra em Brasília

Deputado maranhense quer instalação da CPI do Viagra em Brasília

O deputado federal Bira do Pindaré (PSB) apresentou requerimento na Câmara solicitando a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar a abertura de licitações, por parte do Governo Federal, para aquisição de 35 mil comprimidos de Viagra para integrantes das Forças Armadas brasileiras.

“A denúncia é muito grave e precisamos abrir investigação. Nós estamos falando de dinheiro público aplicado indevidamente”, afirmou Pindaré.

Para obter êxito na sua empreitada, o maranhense precisa angariar 171 assinaturas, o que, neste momento, parece ser inviável.

Segundo denúncias divulgadas nos últimos dias na imprensa nacional, a gestão do presidente Jair Bolsonaro (PL) aprovou pregões para compras de medicamentos para disfunção erétil destinados à Aeronáutica, Marinha e Exército.

As informações, inclusive, constam no Portal da Transparência do Governo Federal.

Licitações realizadas em 2020 e 2021 revelaram que o Exército utilizou R$ 3,5 milhões para compra de próteses penianas flexíveis.

One thought on “Deputado maranhense quer instalação da CPI do Viagra em Brasília

  1. Vereador TIM exerce cargo irregularmente na Cidade de Santa Rita.

    O vereador TIM que foi prefeito da Cidade de Santa Rita esta exercendo o cargo de vereador irregularmente na Cidade de Santa Rita.
    O ex prefeito tem contra si duas ações de improbidade administrativa já transitada e julgada com perda de direito políticos, os dois processos já estão transitados e julgados e ate agora a câmara de vereadores , ministério publico e o poder judiciário estão em silencio.
    Cabe a Presidente da Câmara afastar o vereador FREDILSON que é aliado do vereador TIM afastar mas não faz pois esta pensando e se reeleger o Ministério Publico da Cidade de Santa Rita que tanto fiscalizar o município mas uma vez silencia quando trata-se do ex prefeito TIM.
    Vamos aguardar o desenrolar da situação para trazer mais noticias e com certeza que essa reportagem vai abrir os olhos das autoridades

    processos 501-13.2015.8.10.0118 e 427-85.2017.8.10.0118

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.