Justiça pode cancelar eleições do Coren-Ma por suspeita de fraudes

Justiça pode cancelar eleições do Coren-Ma por suspeita de fraudes

As Eleições do COREN-MA, vencidas pela Chapa Dois, encabeçada pelo professor Patrick Gomes foram marcadas por suspeitas de fraude, com impedimento ao voto e revolta dos profissionais de Enfermagem.  As eleições ocorreu no dia 1º, a contou com  seis chapas.

Segundo denúncias feitas ao Blog da Dalvana Mendes, centenas de Profissionais de Enfermagem do Maranhão foram impedidos de votar nas eleições que ocorreu via on-line, neste domingo (1º).

Para ter acesso ao voto, o profissional deveria acessar o portal www.votaenfermagem.org.br  colocar seu CPF ou número do COREN e solicitar a senha. Esta era enviada para o e-mail ou SMS que consta no cadastro do profissional junto ao Conselho, mas o número do telefone também poderia ser mudado no momento da solicitação da senha, o que pode ter aberto brechas para ilegalidades ocorridas no processo e identificados por uma grande parte dos votantes.

As irregularidades começaram a ser identificadas quando ao receberem suas senhas e entrarem no sistema para votar, esses profissionais foram surpreendidos com a mensagem “E04 O ELEITOR JÁ POSSUI VOTO REGISTRADO”, ou seja, outra pessoa já havia votado por eles, deixando a lisura do processo  questionável.

Coincidentemente o mesmo número do IP de computador foi registrado em todos os comprovantes da votação nos comprovantes.

 

 

Profissionais que estavam de plantão em São Luís, Imperatriz, Barra do Corda, Grajaú e outros municípios, comprovaram várias fraudes no processo e acusações gravíssimas e que, inevitavelmente, deve resultar na anulação de todo o processo eleitoral do COREN Maranhão.

Todas as irregularidades foram encaminhadas a Polícia Federal e ao Ministério Público Federal que irão investigar o caso, visto que os profissionais de enfermagem que tiveram os votos fraudados foram suficientes para alterar o resultado das eleições, tornando, inclusive, a chapa eleita, sem nenhuma representatividade democrática perante a categoria.

As Chapas concorrentes também entraram com uma ação anulatória das Eleições na Justiça Federal.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *