Femaci defende gestão consorciada de matadouros industriais regionais no Maranhão

Femaci defende gestão consorciada de matadouros industriais regionais no Maranhão

Reunião entre gestores municipais do Pólo São Bento, com Diretor Executivo do Conlagos, promotores e técnicos da AGED/MA.

A proposta de consórcios intermunicipais para a construção de abatedouros regionais nas principais regiões do Maranhão vem sendo discutido pela Federação Maranhense de Consórcios Intermunicipais (Femaci) com a Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED) e o Ministério Público Estadual (MPE). A intenção é fazer com que os gestores dos municípios maranhenses, entrem em acordo para adequação da política nacional de abatedouros, que visa combater o abate ilegal.

Ronald Damasceno, que é secretário-geral da Femaci, já havia defendido durante a primeira reunião do novo Conselho Diretor Nacional da Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento (Assemae) realizada em Brasília, a importância estratégica dos consórcios e da participação popular na gestão e planejamento dos serviços públicos municipais.

Ao defender a proposta dos consórcios para abatedouros como solução contra o abate ilegal, Ronald aponta as vantagens econômicas e sanitárias para os municípios, ganhos com a saúde pública, além de demonstrado que a união das prefeituras em consórcios, permite que as despesas sejam rateadas entre todos os municípios, diminuindo os custos para construção e manutenção de um matadouro, dentro dos padrões exigidos pela legislação.

“A parceria da Femaci com a Aged tem o objetivo de diminuir o abate clandestino. E uma das estratégias para adequar os municípios com a política nacional de abatedouros é a formação de consórcios com vantagens econômicas e sanitárias para os municípios, além dos ganhos com a saúde pública”, declarou Ronald.

O secretário-geral da Femaci declarou que já existem propostas de abatedouros em duas regionais em vários municípios como São Bento, na Baixada Maranhense; na região de Bacurituba, São Vicente Ferrer, Cajapió, São João Batista, Peri Mirim e Palmeirândia.

E a outra regional fica em Vitorino Freire, que atingi também Olho d’Água das Cunhãs, Brejo de Areia, Altamira do Maranhão, Paulo Ramos, e possivelmente Pio XII, Satubinha e Bom lugar. Em todas as localidades, os empreendimentos são viabilizados por meio da parceria entre Aged  e Femaci.

O Presidente da Femaci e prefeito do Olho d’Água das Cunhãs, Rodrigo Oliveira, observou que para encontrar uma solução para contra o abate ilegal nos abatedores é importante ter o envolvimento de todos os municípios.

“ A importância dos consórcios para resolver estas problemáticas dos matadouros, é necessária para se encontrar uma solução envolvendo o coletivo dos municípios dentro de um território e vejo com grande expectativa este diálogo com a Agerd, através do Governo e do Ministério público do Maranhão”, disse Rodrigo Oliveira.

 

Atendendo ao convite da Femaci,  o prefeito de São Beto, Luizinho Barros, destacou a importância da gestão consorciada de matadouros em prol da saúde pública, e que já articula juntamente ao governador Flávio Dino, buscar uma solução para os matadouros da região.

“Me sinto honrado em fazer parte dos primeiros passos da construção de uma gestão consorciada de matadouros, já que é uma situação delicada, uma política nacional em vigor que precisa ser respeitada e ser devidamente adequada aos municípios, por isso já estamos em conversa com governador Flávio Dino para buscarmos uma solução para esta problemática”, finalizou Luizinho.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *