Em São Luís, 99 casarões históricos ameaçam desabar por conta das chuvas

Em São Luís, 99 casarões históricos ameaçam desabar por conta das chuvas

casagrao

Pelo menos 99 casarões do Centro Histórico de São Luís, considerado Patrimônio da Humanidade, têm alto risco de desabamentos, segundo dados correspondentes ao último levantamento feito pela Defesa Civil do Maranhão. Destes imóveis, 31 possuem pessoas e até famílias morando – um caso a mais que o registrado no ano passado. Foi o que apontou, reportagem da Tv Mirante.

Segundo Fernando Fernandes, capitão do Corpo de Bombeiros, alguns imóveis já foram isolados e quem passar nas proximidades deve ficar bem atento para evitar ser vitima de um possível desabamento. “Os transeuntes que passam por aqui devem ficar atentos, principalmente, no período que estiver chuvoso ou ventando também. Devem passar afastados, manter distancia dos casarões que estão isolados”, alertou.

Para a turista, Maria Eduarda Leite, a falta de conservação do Centro Histórico afeta também o turismo na região. ”Você vê que mesmo degradado é um lugar muito bonito de se ver, mas precisa de manutenção?”, opinou a estudante.

A situação também incomoda quem trabalha ao lado de um casarão que mostra logo na fachada a ação do tempo e a falta de conservação. “Pavor, porque a gente sabe que madeira tem prazo de durabilidade. Pode de repente quebrar e  o prédio desabar”, reclamou a artesã Marinalda Marques.

Os prédios abandonados atrapalham a vida de muita gente como diz o comerciante Francisco Melônio, que reclama que o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional do Maranhão (Iphan) não o permite que ele altere a estrutura do local onde trabalha.  “Eles não ajudam. A burocracia é muito grande, principalmente do Iphan”, reclamou.

Sobre a burocracia para reforma dos prédios, o Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) disse que segue os procedimentos determinados pelo governo federal e que disponibiliza técnicos para esclarecer possíveis dúvidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *