“Gente cuida de gente, independentemente de religião”, diz Fábio Câmara

“Gente cuida de gente, independentemente de religião”, diz Fábio Câmara

De O Estado

fabioO candidato a prefeito de São Luís pelo PMDB, vereador Fábio Câmara, intensificou nesta semana agendas de campanha entre os evangélicos da capital. Segundo ele, nos últimos dias já houve reuniões com lideranças de denominações do Coroadinho, Parque Vitória, São Raimundo e Vila Luizão.

Ele diz que tem sido procurado por eleitores desiludidos com as propostas de campanha dos candidatos organicamente evangélicos, o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), candidato à reeleição pela coligação “Pra seguir em frente”, e a deputada federal Eliziane Gama (PPS), da coligação “São Luís de verdade”.

“Uma coisa é falar, outra coisa é praticar. Vários evangélicos me procuraram, dizendo que não estão tendo essa atenção dos que se dizem homens e mulheres de Deus. Não estão tendo esse acolhimento e nós estamos tendo agendas fortes com o povo evangélico”, afirmou.

Católico praticante, como faz questão de ressaltar, Câmara acredita que a diferença de religião não deve ser um impeditivo para a atração do eleitorado.

“Eu sou um homem católico apostólico romano praticante. Mas efetivamente com Deus no coração e adepto da tese de que gente cuida de gente, independentemente de credo, de religião”, completou.

Estratégia – A ofensiva do peemedebista nessa camada do eleitorado tem uma razão de ser: a mais recente pesquisa Escutec/O Estado aponta que ele tem apenas 3,1% dos votos dos evangélicos ludovicenses. O desempenho só melhor que os de Cláudia Durans (PSTU) e de Valedny Barros (PSOL), da coligação “São Luís, o caminho é pela esquerda”.

Para conquistar o voto, o vereador tem a estratégia marcada pelo discurso. Defenderá durante a campanha que o prefeito, seja de que religião for, deve tratar dos interesses da cidade enquanto estiver investido no cargo de gestor municipal.

Para ele, questões religiosas devem ser relegadas ao plano pessoal, ao foro íntimo do cidadão que estiver à frente do Executivo Municipal.

“O prefeito de São Luís tem que ser laico, tem que entender que ele é o prefeito de uma cidade e não deve ter, o prefeito, uma religião. O cidadão pode ter sua religião, mas o prefeito, enquanto gestor, não deve ter religião, ele deve cuidar do povo da nossa cidade, independentemente de religião”, analisou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *