Postura de ‘independência’ atrapalha formação de alianças com Wellington do Curso‏

Postura de ‘independência’ atrapalha formação de alianças com Wellington do Curso‏

Parlamentar que já se assumiu como ‘base do governo’, diz que é independente, mas flerta com líderes do grupo Sarney para manter condição de pré-candidato

A condição de ‘independência’ é uma das pedras no caminho do deputado Wellington do Curso (PP) para atrair aliados e partidos para seu palanque.

Por ter adotado uma postura independente na Assembleia Legislativa, o pré-candidato do PP à prefeitura de São Luís, criou uma série de fatores que hoje estão sendo prejudiciais para sua pré-campanha.

Essa sua posição, por exemplo, fez o parlamentar ser excluído do “consorcio de pré-candidatos a prefeito” criado pelo governador Flávio Dino (PCdoB), embora ele mesmo já tenha  se assumido como membro da ‘base do governo’.

Excluído do ‘consorcio’, Wellington conseguiu se manter no topo dos três candidatos que lideram as pesquisas, mas mesmo assim, ele não consegue partido para coligar.

A preocupação aumentou porque falta menos de nove dias para encerrar as convenções. Ontem, durante uma reunião no Curso Wellington, os vereadores e pré-candidatos do Partido Progressista se mostraram extremamente preocupados com a situação da legenda na eleição proporcional  Por enquanto, o PP tem pré-candidato a prefeito e nenhum partido até agora foi atraído para o projeto, conforme lembrou  o jornalista Clodoaldo Correa em seu blog.

A situação é desesperadora porque os vereadores da sigla pepista não entendem como um pré-candidato em terceiro lugar e que vence todos os adversários no segundo turno não conseguiu atrair ninguém para coligar?

Pressionado, Wellington resolveu flertar com líderes do grupo Sarney para manter condição de pré-candidato. Essa semana, ele procurou pessoalmente a ex-governadora Roseana Sarney e lhe ofereceu fidelidade em busca do apoio do PMDB ao seu projeto. Roseana aceitou a proposta, mas não conseguiu convencer Fábio Câmara a abdicar da candidatura.

Pra piorar ainda mais o cenário desfavorável ao fundador do cursinho preparatório, o deputado estadual Roberto Costa, líder da maioria dos votos do diretório, resolveu tomar uma decisão que afasta praticamente a possibilidade de aliança entre PMDB e PP: vai apoiar o projeto de candidatura própria do partido na capital.

Sem saída, Wellington resolveu bater nas portas do PV. O candidato do PP passou ontem (26) praticamente o dia todo trancado no gabinete do deputado Adriano Sarney tentando atrair o partido para seu palanque, mas parece que ainda não houve acordo.

Não se sabe se Wellington errou ao adotar uma postura ‘independente’, pois para quem pensa em entrar numa disputa majoritária, o ideal é atuar em grupo, pois do contrário, estará fadado ao isolamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *