Como primeiro suplente está de tornozeleira da PF, pai de Jr. Bolinha será vereador

Como primeiro suplente está de tornozeleira da PF, pai de Jr. Bolinha será vereador

matiaspancadao
Matias Pancadão está proibido de deixar São Luís e não pode assumir mandato em Vargem Grande

No município de Vargem Grande-MA, o  vereador Germano Barros (PSD) tirou licença médica de 120 dias na última sexta-feira (17) e desde então a Câmara vargengrandense está desfalcada de um parlamentar. A Mesa Diretora comunicou o Cartório Eleitoral para dar posse ao primeiro suplente em um prazo de 15 dias.

Acontece que o primeiro suplente da coligação de Germano é o dono da casa noturna BamBamBam em São Luís, Matias Pancadão (PR). O suplente está utilizando uma tornozeleira eletrônica “emprestada” pela Polícia Federal e está proibido de sair de São Luís.

A medida privativa contra Pancadão foi imposta no bojo da Operação Quilópode, que investiga crimes previdenciários no Maranhão. O esquema criminoso funcionava com falsificação de documentos públicos para fins de concessão de benefícios de amparo social ao idoso, cujos titulares eram pessoas fictícias criadas pela associação criminosa para possibilitar a fraude.

Raimundo Chaves, pai de Júnior Bolinha, deverá assumir

Matias só pode deixar São Luís com autorização judicial. Dificilmente a Justiça permitirá que ele fique quatro meses fora da capital para exercer o mandato. Caso saia da cidade, a tornozeleira acusa e ele estará cometendo novo crime.

Pai de Júnior Bolinha

A história fica ainda mais curiosa porque o segundo suplente desta coligação é o empresário do ramo da cerâmica, Raimundo Chaves (PMDB), que deverá assumir o mandato.

Chaves é pai de Júnior Bolinha, acusado de ser um dos mandantes do assassinato do jornalista Décio Sá. Bolinha está preso no Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

Do blog Clodoaldo Corrêa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *